Financiamento imobiliário: saiba como financiar o seu imóvel

- Publicado em Deixe um comentário

Conhecer os tipos de financiamento imobiliário, é bastante importante na hora de comprar o seu apartamento ou imóvel. Pular para o artigo

Financiamento imobiliário

Nos últimos anos, adquirir um apartamento ficou mais fácil devido aos muitos tipos de financiamentos imobiliários criados para se adaptar às necessidades de cada comprador.

No entanto, muitas pessoas ainda desconhecem suas opções de financiamento e como podem utilizá-los para aumentar o conforto da família.

Continue lendo este artigo e você saberá 15 pontos importantes.

O que é financiamento imobiliário?

O financiamento imobiliário é uma espécie de empréstimo cedido geralmente por um banco, mas que pode ser concedidos por outras instituições financeiras.

O que é financiamento imobiliário?
O que é financiamento imobiliário?

Muitas vezes, as próprias construtoras possuem financiamentos próprios.

Ao realizar um financiamento imobiliário, o comprador assume um compromisso de devolver o valor financiado, com os devidos juros e taxas administrativas.

Por meio de pagamentos mensais, de acordo com os termos do contrato de cada banco ou instituição.

O valor das prestações, as condições de amortização da dívida e a quitação do contrato dependem do tipo de financiamento imobiliário contratado.

Por isso, uma avaliação de cada tipo é necessária.

Como funciona o financiamento imobiliário?

Comprei um apartamento por financiamento imobiliário, como funciona esse processo?

Como funciona o financiamento imobiliário?
Como funciona o financiamento imobiliário?

Para fazer o financiamento, você deve contatar a construtora para receber a orientação inicial necessária, que resumidamente é:

Primeiro, o responsável na obtenção do financiamento é você.

O departamento de crédito e o departamento jurídico do banco vão analisar e conceder um financiamento a você e somente você poderá dar as informações e solicitar os documentos pessoais que serão analisados, assim como tirar eventuais dúvidas que o banco venha a ter para o processo.

É o início de um longo relacionamento entre você e o banco.

O departamento de crédito irá orientá-lo e indicar uma assessoria para a análise de renda e montagem do processo junto ao banco financiador da obra ou qualquer outro que desejar.

O departamento jurídico disponibilizará os documentos da vendedora (construtora) e imóvel necessários para o processo de financiamento habitacional.

Segundo, é responsabilidade da construtora disponibilizar a você todos os documentos e certidões referentes à construtora e ao empreendimento em Cartório de Notas.

Terceiro, assim que a construtora entregar os últimos documentos referentes à obra, que são o Habite-se e a especificação de condomínio, você pode dar entrada no pedido de financiamento.

Quais os tipos existentes de financiamento imobiliário?

Quais os tipos existentes de financiamento imobiliário?
Quais os tipos existentes de financiamento imobiliário?

Basicamente, uma pessoa interessada em entrar em um financiamento imobiliário possui três opções:

  • Sistema Price
  • Sistema de Amortizações Constantes (SAC)
  • Sistema de Amortização Crescente (Sacre)

Financiamento imobiliário: Sistema Price

Dos três tipos de financiamento existentes, o Sistema Price é o menos utilizado no Brasil, por causa dos índices de inflação e altas taxas de juros.

No conceito original, tabela Price possui prestações fixas, juros decrescentes e amortizações crescentes.

Os juros vão diminuindo conforme o saldo devedor também diminui.

Porém, como este sistema precisou ser adaptado à realidade brasileira, as parcelas deixaram de ser fixas e variam conforme a inflação.

O reajuste das prestações deste sistema é feito pela TR (taxa referencial).

Se a renda do interessado não segue a mesma correção que as parcelas, este sistema pode apresentar muitas desvantagens, pois uma porcentagem cada vez maior da renda será comprometida.

Sistema de Amortizações Constantes (SAC)

Como o próprio nome sugere, neste tipo de financiamento, o valor das amortizações não são alterados, porém, os juros variam mensalmente.

No entanto, como os juros são incidentes sobre o saldo devedor, eles também diminuirão progressivamente com o passar do tempo.

Sendo assim, é seguro pensar que os valores mais altos serão pagos no início do financiamento e as últimas parcelas terão peso bem menor no orçamento, o que é bastante favorável no caso de algum imprevisto.

O valor da amortização é calculado, dividindo-se o valor do principal pelo número de períodos de pagamento, ou seja, de parcela. Por sua vez, os juros são calculados sobre o saldo devedor, multiplicando-se a taxa pelo saldo. Finalmente, a soma da amortização e dos juros resultam no valor da parcela.

Fonte: Wikipédia

Exemplo:

Um banco libera para uma pessoa o crédito de R$ 120.000,00 para ser pago pelo SAC em 10 parcelas mensais.

Sendo a taxa de juros de 5% ao mês, construa a planilha.

Calculando o valor das amortizações:
120 000 / 10 = 12 000
As amortizações mensais serão fixas e iguais à R$ 12 000,00

MesesSaldo devedor
(R$)
Amortização
(R$)
JurosPrestação:
(Amortização + Juros)
0120.000,0012.000,00
1108.000,0012.000,00120.000,00 * 5% = 6.00018.000,00
296.000,0012.000,00108.000,00 * 5% = 5.40017.400,00
384.000,0012.000,0096.000,00 * 5% = 4.80016.800,00
472.000,0012.000,0084.000,00 * 5% = 4.20016.200,00
560.000,0012.000,0072.000,00 * 5% = 3.60015.600,00
648.000,0012.000,0060.000,00 * 5% = 3.00015.000,00
736.000,0012.000,0048.000,00 * 5% = 2.40014.400,00
824.000,0012.000,0036.000,00 * 5% = 1.80013.800,00
912.000,0012.000,0024.000,00 * 5% = 1.20013.200,00
1012.000,0012.000,00 * 5% = 60012.600,00
Total120.000,0033.000,00153.000,00

Sistema de Amortização Crescente (Sacre)

Sistema de Amortização Crescente (Sacre)
Sistema de Amortização Crescente (Sacre)

Pode-se afirmar que o Sacre é uma combinação dos outros dois tipos de financiamento.

No Sacre as prestações mensais aumentam durante um certo período e, depois, começam a decrescer.

Assim como acontece no Sistema Price, as amortizações do Sacre também estão submetidas à variação da TR.

Amortizações extras

Caso o contratante do financiamento dispuser de uma quantia extra e decidir realizar uma amortização a mais do saldo devedor, esta poderá ser feita sem problemas.

Cada banco/instituição financeira trabalha de uma maneira: ao realizar a amortização extra, o cliente pode escolher por diminuir o prazo de pagamento.

Porém mantendo o valor da parcela mensal ou pela diminuição do valor da parcela mensal, porém mantendo o prazo original de pagamento.

Ao decidir por quitar o financiamento totalmente, serão descontados os juros e as taxas administrativas do saldo devedor.

Ao contratar um financiamento imobiliário, certifique-se de tirar todas as suas dúvidas em relação aos juros e às amortizações para que consiga criar um planejamento eficiente.

Composição de renda

Composição de renda
Composição de renda

Qual é a forma de composição de renda normalmente aceita pelos bancos?

Os bancos normalmente aceitam a composição de renda do casal.

Outros casos como união estável, noivos, pais e filhos, irmãos dependem da consulta junto ao banco, pois varia muito a aceitação de uma instituição financeira para outra.

Em muitos casos, a aceitação, se ocorrer, virá acompanhada de solicitação de documentação complementar.

Caso um dos nomes tenha problema em uma instituição de crédito, com toda certeza o crédito será negado, mesmo que o desabono seja antigo e de pequeno valor.

Quais são as despesas com o processo de financiamento imobiliário?

Eventualmente, o banco poderá cobrar TAC. (Taxa de Abertura de Crédito), taxa de análise jurídica, taxa de inscrição e expediente, dentre outras.

O cliente deverá arcar com as despesas relativas aos emolumentos que se originarem das certidões e documentos disponibilizados pela construtora, bem como honorários de despachante, certidões relativas à Municipalidade, de propriedade e outras relativas ao processo.

Quais são as despesas com o processo de financiamento imobiliário?
Quais são as despesas com o processo de financiamento imobiliário?

Ainda por conta do cliente incidirão, quando da assinatura do contrato de financiamento, as despesas de registro de imóveis e ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis).

O financiamento do imóvel não precisa ser pelo banco indicado pela construtora, porém, o processo no mesmo banco é mais fácil, rápido e com menor encargos, pois não haverá necessidade de pagar pela avaliação do imóvel e não incidirão algumas taxas.

Mitos e verdades sobre o financiamento de imóveis

Se você está pensando em comprar um apartamento em Joinville, provavelmente está considerando a hipótese de um financiamento bancário.

Há muitas informações desencontradas sobre o financiamento imobiliário e, por isso, a necessidade de desmistificar alguns fatos sobre essa modalidade se tornou grande.

Sendo assim, preparamos uma seleção com alguns mitos e verdades sobre o assunto para que você saiba o que esperar ao solicitar um financiamento para a compra do seu imóvel. Acompanhe.

O financiamento imobiliário é muito burocrático

Essa primeira informação pode ser MITO ou VERDADE.

Isso significa que a velocidade com que o seu financiamento imobiliário será aprovado depende muito de você mesmo.

O financiamento imobiliário é muito burocrático
O financiamento imobiliário é muito burocrático – Foto: InGaia

É verdade que, ao entrar com a solicitação de financiamento de um imóvel, a instituição financeira irá exigir uma lista longa e completa de documentos.

Caso você esteja com a documentação toda em ordem e à mão, o seu financiamento será liberado em um piscar de olhos, sem a menor burocracia.

No entanto, o oposto também é verdadeiro.

Se você precisar solicitar a emissão de alguns dos documentos exigidos, poderá ter que enfrentar um prazo maior do que o esperado para tê-los em mãos e, só depois, formalizar a solicitação de financiamento.

O financiamento pode ser obtido por qualquer pessoa

Infelizmente, isso é um MITO.

Mesmo com a situação político-econômica delicada que o país atravessa e com as facilidades de acesso ao crédito, nem todo mundo é considerado qualificado para obter um crédito ou financiamento imobiliário.

As condições financeiras dos candidatos ao financiamento imobiliário são analisadas minuciosamente e é sempre observado o quanto da renda total será comprometida durante todo o prazo de financiamento.

Boa parte dos bancos não financia 100% do valor do imóvel e, caso o comprador não tenha como comprovar que será capaz de cumprir os pagamentos das prestações.

Ele terá dificuldades em conseguir um financiamento, mesmo que tenha o suficiente para a entrada

Todos os financiamentos oferecem prestações com valores decrescentes

DEPENDE. Essa informação é verdadeira se o financiamento for realizado com base na TABELA SAC (Sistema de Amortização Constante).

Neste tipo de financiamento, as prestações se iniciam com um determinado valor e sofrem pequenas reduções ao longo do tempo, porque o saldo devedor sofre amortização e, consequentemente, o valor dos juros sobre este é menor.

Dessa forma, no final do plano de financiamento, o valor das parcelas pode chegar à metade do valor da parcela inicial.

Financiar um imóvel na planta é uma ótima opção, pois ele sempre se valoriza

VERDADE.

É seguro dizer que a valorização real de um imóvel adquirido na planta chegue a atingir a marca dos 20% a 40%, o que representa uma valorização bem mais alta do que as outras opções de investimentos.

Além disso, apesar de apresentar menor liquidez, investir em imóveis é uma segurança a mais nas épocas de inflação alta.

Caso você não precise dessa quantia para outras coisas, investir em um imóvel na planta é o que vai lhe proporcionar o maior retorno financeiro.

Aproveite e conheça 5 dicas para comprar um apartamento na planta aqui.

Pesquisar e fazer simulações de financiamentos em várias instituições financeiras é a melhor medida para escolher a melhor opção para o seu caso.

Atualmente já é possível contar com programas de facilidade de crédito que oferecem bastante vantagens.

Portanto, selecione os planos de financiamento das instituições que facilitam sua vida e estão prontas a negociar suas taxas de juros de uma maneira que todos estejam de acordo.

Conclusão

Independentemente da sua escolha pelo tipo de financiamento imobiliário, é bastante importante você conversar com a instituição financeira que atende os seus valores pessoais.

Assim vai ficar mais fácil você conversar com o seu gerente e encontrar a melhor opção para a sua saúde financeira!

Até a próxima! 😉

Compartilhe a sua opinião com a gente!